treinamento-de-pais

Todos sabemos que a família proporciona o primeiro – e mais importante! – contexto para o desenvolvimento humano, não é? Portanto, as relações familiares têm uma influência muito grande sobre a saúde mental das crianças, pois são elas que delimitam estabelecimento de limites, comunicação, ensino de responsabilidades e expressão de afeto, que são comportamentos essenciais para um desenvolvimento saudável. Sem contar que, geralmente, os pais são os primeiros a reconhecer problemas e atrasos no desenvolvimento da criança – daí a necessidade de conhecer e estar sempre atento aos filhos!

Muitos pais geralmente recebem pouco ou nenhum preparo quando se trata de educação dos seus filhos, utilizando conhecimentos adotados pela cultura em que vivem e/ou com o que aprenderam com seus pais ou criadores, ou simplesmente educando por meio do ensaio e erro. Mas se já existe certa dificuldade dos pais em lidar com crianças com desenvolvimento típico, imaginem então quando se trata de uma criança com alguma especificidade, como é o caso das crianças com Transtorno do Espectro do Autismo!

Partindo dessa dificuldade, o Treinamento de Pais (TP) é uma ferramenta que tem sido muito utilizada nos últimos anos para atuar na modificação de problemas comportamentais e emocionais em crianças e adolescentes, e pode ser definida, de um modo simples, como o ensino de comportamentos e estratégias que permitam aos pais modificarem a forma como interagem com seus filhos. Alguns autores inclusive falam que o conceito implica não apenas no ensino de habilidades específicas aos pais, mas também que esses, ao desempenharem o que aprenderam, produzem modificações no comportamento dos seus filhos, aumentando a emissão de comportamentos pró-sociais.

Além disso, é importante lembrar que acompanhar uma criança com um transtorno do desenvolvimento, como o Transtorno do Espectro Autista, às vezes pode acarretar dificuldades emocionais e estresse aos pais dessa criança. Isso também será trabalhado com o terapeuta no TP, de forma a ensinar aos pais como manipular contingências ambientais na interação com seus filhos, aumentando assim a probabilidade de eles agirem de modo mais eficaz diante de situações difíceis. Juntamente com o terapeuta, a família traça os objetivos do tratamento, que podem variar desde diminuição de comportamentos considerados problema da criança ou adolescente, até o aumento de respostas efetivas.

Dessa forma, os pais são considerados importantes agentes de mudanças do comportamento dos filhos, contribuindo para um aumento do número de comportamentos positivos dos filhos, em seu ambiente natural, quando bem orientados para isso! Seja você também um agente de mudanças!!

REFERÊNCIAS:

Zazula, R.; Haydu, V. B. (2011). Análise aplicada do comportamento e capacitação de pais: Revisão dos de artigos publicados pelo JournalofAppliedBehaviorAnalysis. Acta comportamentalia, 20 (1), 87-107.

Dias, C. M. L.; Santos, L. S. (2013). O uso do treinamento parental como técnica interventiva em crianças com transtornos globais do desenvolvimento (TGD’s) na cidade de Teresina. Disponível em:http://www.webartigos.com/artigos/o-uso-do-treinamento-parental-como-tecnica-interventiva-em-criancas-com-transtornos-globais-do-desenvolvimento-tgd-s-na-cidade-de-teresina/102543/

Reid, D. H.; Fitch, W. H. (2011).Training Staff and Parents: Evidence-Based Approaches. International Handbook of Autism and Pervasive Developmental Disorders, Autism and Child Psychopathology Series.

FacebookTwitterGoogle+