aba_autismo_link_psicologia_aline_abreu_e_andrade_recreio

O uso de histórias sociais para ensinar e aperfeiçoar as habilidades sociais de crianças com TEA tem aumentado nos últimos 20 anos. Histórias sociais descrevem situações, habilidades e conceitos sociais de maneira explícita, o que possibilita indivíduos com dificuldades sociais identificarem pistas sociais, perspectivas diferentes e respostas comuns em determinados contextos. Como já vimos em posts anteriores, as historias sociais podem ser utilizadas em diversos contextos, como para ensinar comportamentos adequados, habilidades funcionais, resolução de problemas, atividades de vida diária e autorregulação. Mas o uso de histórias sociais pode auxiliar meu filho a interagir com os colegas na escola?

Diversos estudos têm apresentado bons resultados ao utilizar o recurso de histórias sociais para ensinar comportamentos sociais, por exemplo, como iniciar uma interação com o colega na hora do recreio. No entanto, ainda se observam dificuldades de generalização. As crianças aprendem comportamentos mais adequados para utilizar na interação, mas ainda podem apresentar dificuldade em apresentar esses comportamentos em ambiente natural, na hora do recreio, por exemplo. O que fazer neste caso?

Praticar!!! Após apresentar a história social para a criança é importante mostrar a ela como fazer. Deve-se explicitar os passos a serem seguidos para atingir o comportamento alvo. No nosso exemplo de iniciar uma interação com colega no recreio, alguns passos que devem ser treinados são: chegar perto do colega; chamá-lo pelo nome; estabelecer contato ocular; utilizar comportamento verbal para chamá-lo “Vamos brincar?”. O próximo passo é dar o modelo de como fazer cada uma dessas partes e incentivar para que a criança faça, encenando a situação. Depois disso, é importante começar a utilizar as habilidades aprendidas no ambiente adequado. Para isso, a professora ou a mediadora podem sinalizar para criança quando ela pode utilizar os comportamentos aprendidos e auxiliá-la até que ela aprenda a utilizá-los sem auxilio.

Leaf, J. B. et al (2012). Comparing the Teaching Interaction Procedure to Social Stories for people with autism.Journal of Applied Behavior Analysis, 45 (2), 281-298.

Karkhaneh, M. el  at. (2010). Social stories™ to improve Social skills in children with Autism spectrum disorder.Autism, 14(6), 641–662.

FacebookTwitterGoogle+