aba_e_autismo_link_psicologia_intervencao_precoce

Hoje em dia, tem sido divulgadas cada vez mais informações sobre o autismo. Consequentemente, as famílias têm procurado tratamento assim que percebem os primeiros sinais, facilitando com que as intervenções comecem cada vez mais cedo, antes mesmo do período em que se pode fechar o diagnóstico (normalmente feito aos 3 anos de idade).

Em que consistem as intervenções com crianças tão pequenas?

Embora diferentes programas de intervenção considerem áreas específicas do desenvolvimento como fundamentais, as intervenções precoces acabam por ser extremamente individualizadas, e devem levar em conta a maneira própria de cada criança se comunicar, comportar, processar informações, etc.

Basicamente a intervenção precoce busca estimular no ambiente do dia a dia  as habilidades de desenvolvimento que a criança típica já possui. No processo de intervenção a família é, portanto, uma peça fundamental que atua ativamente no processo de estimulação da criança.

As intervenções precoces apresentam bons resultados para diversas características do quadro de autismo. Sendo assim, quanto antes começar a intervenção, melhores são as expectativas de desenvolvimento da criança.

A sua criança recebeu diagnóstico com que idade? Você acha que a idade de início dos tratamentos influenciou na evolução dela? Compartilhe com a gente seus comentários ou dúvidas!

Referência: Lampreia, C. (2007). A perspectiva desenvolvimentista para a intervenção precoce no autismo. Estudos de Psicologia, 24, 1, 105-114.

FacebookTwitterGoogle+