positivo

A palavra “reforço” geralmente é usada na nossa cultura remetendo às idéias de fortalecimento e de auxílio. Daí as expressões “reforço escolar”, reforço vitamínico”, dentre outras. Para a Análise Aplicada do Comportamento (ABA) o termo reforço pode ser definido como uma consequência que é apresentada ao indivíduo, diante de determinado comportamento, e que faz com que este comportamento tenha mais chances de se repetir no futuro. Neste sentido, para a Análise do Comportamento, reforço relaciona-se a fortalecimento, como na linguagem popular, uma vez que a freqüência do comportamento é aumentada.

Mas por que este conceito é tão importante para trabalharmos com pessoas com autismo? Quando iniciamos o tratamento, temos como objetivo aumentar a freqüência de vários comportamentos desta criança, para que ela se desenvolva. E como fazer para aumentar a freqüência de comportamentos importantes para a sua vida, tais como olhar nos olhos, atender ao nome, brincar, etc? Precisamos agir como detetives e descobrir, para ESTA criança, o que é reforçador! Afinal de contas, se eu oferecer conseqüências reforçadoras para os comportamentos que pretendo aumentar de freqüência, a criança passará a emitir estes comportamentos mais frequentemente.

       Para encontrar o que é reforçador para a sua criança, temos que nos perguntar: “o que a motiva”; “quais são os seus interesses”, “quais são as situações em que ela demonstra maior satisfação”? Existem várias categorias de reforço, tais como atividades (p.ex., pega-pega), objetos (p.ex., bolha de sabão), alimentos (p. ex., chocolate), físicos (p. ex., cócegas) e sociais (p. ex., elogios). É importante se esforçar no sentido de mapear o maior número de itens que reforçam (“recompensam/ motivam”) a sua criança, colocando-a o máximo possível em contato com brinquedos/atividades novas. Pois quanto mais motivada a criança está, maior é a sua prontidão para aprender e se desenvolver!

Fonte da imagem: http://www.algartecnologia.com.br/File/news/image/pt-br/E%20o%20lado%20positivo.jpg

FacebookTwitterGoogle+